Amor ao próximo além das fronteiras e culturas

Julio Zerpa um jovem médico venezuelano que recomeçou sua vida e seu
sonho em Toledo

Médico por formação, Júlio Reyes Zerpa nasceu e cresceu na Venezuela, mas há 3 anos tem o Paraná como seu novo lar. Sua vida foi repleta de grandes conquistas e vitórias, embora algumas delas não sejam dignas de
celebrações. Durante sua formação em medicina na Universidade de Carabobo, foi Líder do Movimento Estudantil Venezuelano – contexto em que formou parte do grupo de resgate que auxiliava as vítimas dos enfrentamentos armados no país.

Doando sua vida e conhecimento para salvar outras, trabalhou na linha de frente para evitar que feridos fossem levados pelo regime ou morressem, motivo pelo qual começou a ser perseguido politicamente. Sem muitas opções para escolher, fugiu ao Brasil já que o país lhe concedeu asilo e alguns amigos lhe ofereceram moradia.

A chegada

Em 2018 chega a Curitiba com a esperança de revalidar seu diploma e conseguir atuar como médico, no entanto, devido a suspensão temporária do Revalida (exame para revalidação do diploma médico formado no
exterior) teve de desempenhar múltiplos trabalhos para sobreviver, tais como atendente numa loja de açaí, motorista de aplicativo e vendedor de comida que ele mesmo preparava.

Após passar quase três anos sem perspectiva de revalidar o diploma no Brasil, Júlio encarou um novo desafio rumo à realização do seu objetivo. Foi então que em 2020 prestou vestibular para a UFPR e foi aceito no curso
de medicina no campus de Toledo. Embora seja um grande triunfo, a trajetória tem sido marcada por atos de xenofobia e outros obstáculos por ser estrangeiro por parte da instituição e dos colegas. Mas é com muita determinação que Júlio segue estudando pela segunda vez para, em breve, poder retribuir à sociedade brasileira todo o apoio que recebeu nos últimos anos.

Viver em uma cidade diferente é um desafio para muitos jovens assim como para Júlio, que possui uma trajetória como voluntário e que agora humildemente recebe apoio de pessoas e instituições, sem deixar para trás o
anseio de também colaborar com aqueles que mais precisam. Apesar de ter deixado sua mãe morando em Curitiba e ter de enfrentar um ambiente no qual tudo era desconhecido, Julio encontrou conhecidos por meio da
Embaixada Solidária e hoje possui os membros da organização como sua família.

Além de receber apoio, o jovem médico e estudante atua como membro dessa organização que vai além das fronteiras e das culturas para ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade. Seu papel principal é apoiar outros imigrantes internacionais na realização de trâmites e outras necessidades.

Relacionadas

Leave a Comment