Ações educativas refletem em benefícios e Transitar registra queda de 37% no pagamento de multas de trânsito

Intensificação de abordagens preventivas reforça a responsabilidade do condutor na segurança viária

Com uma abordagem ainda mais atuante que visa à educação, à prevenção e à responsabilidade no trânsito, a Transitar retomou esta semana as ações educativas, desta vez com o Projeto Cidadão em Trânsito, o qual reforça ações educativas com condutores de automóveis em pontos estratégicos da cidade, lembrando medidas de segurança e o cumprimento às leis, as quais podem evitar acidentes e traumas. Este mês já foi realizada também a Operação Moto Segura e o Projeto Ciclista Cidadão, todos com foco educativo, visando à mudança de mentalidade e de comportamento.

E essa transformação de realidade que se vislumbra já é aferida pela contabilidade. O comportamento viário dos condutores tem relação direta com o pagamento de multas e, progressivamente, a Transitar vem registrando queda na receita com infrações de trânsito. Somente no comparativo de janeiro deste ano com igual período de 2020, a arrecadação registrou redução de mais de 37%, baixando de R$ 1.627.287,08 (janeiro de 2020) para R$ 1.012.674,22 no mês passado.

Valores das multas são aplicados no trânsito

Essa queda não comprometeu os investimentos e despesas com o trânsito. Esses subiram 13,77% no período comparado, sem incluir a folha de pagamento. Com a criação do Fundo do Trânsito pela Autarquia, todos os valores arrecadados com multas retornam em benefícios para a população.

Além disso, diante da queda de infrações, ações educativas e de operações-presença nas vias – que já eram realizadas de forma periódica pela Transitar – agora com esses resultados estão sendo intensificadas visando a um trânsito ainda mais seguro, humano e gentil.

Educar é prevenir

Poucos motoristas sabem a diferença entre uma blitz e uma abordagem educativa de trânsito e, alguns, demonstram resistência ao receber o sinal de parada do agente de trânsito, mas uma abordagem educativa tem o objetivo de reforçar orientações muitas vezes esquecidas na rotina e prevenir para evitar punições, multas e outras infrações.

“Caso nenhuma infração tenha sido cometida, se não houve violação às regras previstas no Código de Trânsito Brasileiro ou na legislação complementar, não há motivos para que os condutores se preocupem com as abordagens, sejam em operações fiscalizadoras ou educativas”, destaca a educadora de trânsito da Transitar, Luciane de Moura.

Mudança cultural

De acordo com a presidente da Transitar, Simoni Soares, o trânsito é um ambiente compartilhado por todos e requer uma mudança de comportamento e cultura. “Não basta apenas o poder público atender solicitações de mais sinalização, com instalação de mais lombadas, semáforos e radares se os motoristas não se conscientizarem de que é preciso também mudança de atitudes, reduzindo a velocidade e não assumindo riscos desnecessários. Estamos ouvindo também pedidos de educação no trânsito e de engenharia, mas é importante a conscientização de que as multas são consequência de ações individuais e que essas vão além de prejuízos financeiros, podendo levar a prejuízos irreparáveis, como mortes no trânsito”.

Acidentes gravíssimos x imprudência

Das infrações registradas no mês de janeiro deste ano em Cascavel, 75% estão ligadas àquelas que lideram o topo de causas de acidentes graves ou gravíssimos; dessas, 43% são por excesso de velocidade e 32% por avanço de sinal vermelho ou parada obrigatória.

“Esses dados corroboram a necessidade da responsabilidade individual para um trânsito seguro, sendo que as infrações devem ter um objetivo pedagógico, responsabilizando aqueles que causam insegurança para os usuários da via”, ressalta Simoni.

Bater na mesma tecla até assimilar

– Respeitar a velocidade da via;

– Não avançar o sinal vermelho;

– Usar o cinto de segurança pelo motorista e todos os passageiros da frente e também no banco traseiro;

– Transportar as crianças na cadeirinha;

– Deixar o celular de lado enquanto dirige;

– Não conduzir veículos sob efeito de álcool;

– Não dirigir sem habilitação ou permitir que pessoa sem habilitação dirija seu veículo;

– Respeitar a faixa de pedestre.

Essas são algumas atitudes diárias e necessárias que são repetidas exaustivamente até virar rotina para se evitar acidentes e cultivar a empatia necessária no trânsito. Elas foram novamente reforçadas pelos agentes durante a ação educativa realizada na Avenida Brasil em frente à Catedral Nossa Senhora Aparecida e serão enfatizadas nas demais ações.

Todos os modais

Hoje (24) nova abordagem educativa será realizada na Avenida Brasil próximo à Praça do Migrante; na sexta (26), das 18 horas às 19 horas, a ação será na Rua Paraná, próximo à Rua Pio XII.

A campanha da Transitar segue o tema base “No Trânsito, sua responsabilidade salva vidas!” e ocorre paralelamente às operações-presença que estão sendo realizadas nos bairros.

As ações educativas tiveram início neste mês de fevereiro trabalhando, a cada semana, um modal de transporte. Já foram mais de 300 motociclistas e 200 ciclistas orientados com os projetos Moto Segura e Ciclista Cidadão.

Foto e Texto: Secom Cascavel

Relacionadas

Leave a Comment