Volta às aulas: tudo o que pais e responsáveis precisam saber

Secretária Marcia Baldini detalha como será o início do ano letivo e orienta sobre o retorno das aulas presenciais
O ano letivo de 2021 começa oficialmente na próxima segunda-feira (8) para os alunos da Rede Municipal de Cascavel e há grande expectativa por parte das comunidades escolares sobre a volta das atividades presenciais e sobre como ocorrerá o retorno dos alunos às unidades escolares. Para detalhar tudo isso, a secretária de Educação Marcia Baldini reuniu os veículos de comunicação local na tarde de hoje (5) em uma entrevista coletiva na Secretaria Municipal de Educação (Semed).

A secretária lembrou que durante todo o ano de 2020, desde a suspensão das aulas no final de março, por conta da pandemia, a Semed vem trabalhando com várias ações em relação às aulas remotas e também de prevenção da transmissão do novo coronavírus. Concomitante a isso, a Semed também planejava a volta das aulas presenciais, que por conta do cenário global e local, não pode acontecer no ano passado. “Nós estamos com um planejamento pronto já desde de 2020 para um possível retorno e as aulas terão início de forma remota a partir do dia 8 de fevereiro”, disse Marcia.

Declaração de Compromisso

Entre famílias que defendem o retorno das aulas presenciais e a aquelas que temem ter de encaminhar seus filhos de volta para a escola ainda em período pandêmico, o município dará às famílias de alunos saudáveis a possibilidade de escolha. Com o início das atividades remotas, na próxima semana, os pais e/ou responsáveis de alunos também receberão dois modelos de Declaração de Compromisso, uma destinada às famílias que definiram pela volta dos filhos às escolas e outra para aquelas que preferem permanecer com as atividades remotas.

Na primeira, o responsável pelo aluno assina que está ciente dos riscos de transmissão comunitária, dos protocolos de segurança necessários durante a pandemia, dos riscos que envolvem o retorno presencial e também da necessidade de comunicar e afastar o aluno em caso de sintomas ou de familiar da mesma casa doente, entre outros apontamentos necessários para um retorno presencial seguro.

Já os pais que optarem por manterem os filhos no sistema remoto, assinarão uma declaração de que estão cientes da obrigatoriedade da retirada e devolução das atividades, que deverá auxiliar o aluno em suas atividades remotas e que em caso de mudança de opinião deverá comunicar primeiramente a escola sobre a intenção de levar o aluno presencialmente, para que a unidade escolar possa se organizar.

Plano de Contingência

É importante saber que além do Plano de Contingência da Semed, cada unidade escolar montou seu próprio Plano de Contingência, que são documentos detalhados que organizam o retorno dos alunos às atividades presenciais. Estes planos passam pelos pareceres do COE Municipal (Centro de Operações de Enfrentamento à Covid-19), da Vigilância Sanitária e da secretaria Municipal de Saúde.

Formas de Retorno

Muito se fala em retorno presencial, remoto e/ou híbrido. A Secretaria de Educação esclarece que o retorno remoto será em formato obrigatório, ou seja, se a família optar em não levar o aluno ou o mesmo tenha que ir à escola em semanas alternadas, ele obrigatoriamente terá de fazer atividades remotas para computar os dias letivos (Alunos do grupo de risco deverão continuar realizando as atividades remotas). O formato presencial só será possível nos casos em que os pais autorizarem e que a sala tiver um número de alunos que permita o afastamento social necessário. Nas turmas com grande número de alunos retomando será aplicado o sistema híbrido para que possa ser mantida uma distância de segurança entre os colegas. Neste caso, grupos de uma mesma turma se revezam entre uma semana e outra nos formatos presencial e remoto.

Reorganização

Com a devolutiva das Declarações de Compromisso, cada unidade escolar terá um panorama do número de alunos que receberá na escola e poderá se organizar em relação à quantidade máxima de alunos por sala e quanto à necessidade de escalonamento. Será necessário rígido controle em termos de segurança sanitária e o monitoramento constante de casos de infecção pelo vírus. Setores importantes da Secretaria de Educação também terão de se reorganizar a partir da devolutiva das declarações, a exemplo do Setor de Transporte Escolar Rural, que também deverá transportar um número reduzido de alunos, o que afetará nas escalas de rodízio das escolas, e o setor de merenda, que passará a abastecer as escolas com merenda para os alunos que estiverem frequentando s unidades, e precisará manter a distribuição dos kits de merenda aos alunos do grupo de risco ou cujos pais optaram por manter o ensino remoto.

Como será o retorno?

As primeiras turmas (5ºs Anos) devem iniciar as atividades presenciais ainda no mês de fevereiro, com retorno programado para o dia 22 e as demais tormas voltarão em seguida, gradativamente. A volta dos alunos deverá obedecer o distanciamento necessário e uso de máscara, será necessário a higienização constante das mãos, haverá aferição de temperatura e alternância de grupos para evitar aglomeração. A Secretaria de Educação e as unidades escolares já se organizaram na aquisição de insumos necessários para garantir a segurança, como termômetros e tapetes sanitizantes, além de Equipamentos de Proteção Individual, com distribuição de máscaras inclusive para os alunos que estarão indo às escolas. É importante neste momento a parceria com as famílias no sentido de orientar os alunos quantos aos cuidados necessários no retorno à escola.

Quem pode voltar?

Neste primeiro momento não há previsão de data para o retorno presencial dos alunos de zero a três anos e também não poderão voltar os alunos pertencentes ao grupo de risco. Poderão escolher pelo retorno presencial os pais de alunos da pré-escola I e II das escolas e Cmeis, assim como os alunos das séries iniciais do Ensino Fundamental. A Educação em Tempo Integral também não tem data de retorno prevista e os alunos matriculados nesta modalidade, e que as famílias definirem pelo retorno presencial, deverão voltar em meio período.

Avaliação constante

Haverá avaliação constante dos indicadores da pandemia e todas as ações sempre serão tomadas com muita cautela, com avaliação diária para a continuidade ou não do ensino presencial. A secretária de Educação Marica Baldini aproveitou a coletiva e reforçou a necessidade da conscientização em relação às medidas de prevenção, que serão extremamente importantes dentro da escola. “Os cuidados com lavagem das mãos, uso de máscara e distanciamento social e outros cuidados, nós teremos que manter por muito tempo, pois nós temos previsão de vacina para alguns grupos. Os professores estão incluídos, mas serão vacinados somente mais à frente e as crianças não serão vacinadas, então os cuidados terão que permanecer. É muito importante que as famílias trabalhem junto com a escola nesta organização e nos cuidados”.

Texto: Alini Bianco/Secom

Fotos: Silvia Cristiane/Secom

Related posts

Leave a Comment