Qual o papel da igreja diante do novo Brasil?

Desde a redemocratização do Brasil, nunca houve uma manifestação tão calorosa de apoio a um candidato à Presidência da República como nas últimas eleições. Jair Messias Bolsonaro (PSL) foi eleito da forma mais improvável possível, praticamente sem fazer campanha, ofício que os próprios eleitores se encarregaram. A eleição de Bolsonaro, sem dúvida, será pauta para muitos artigos e estudos acadêmicos nos próximos anos.

A Igreja Evangélica Brasileira teve papel fundamental na vitória de Bolsonaro. Até então não havia uma participação tão forte de evangélicos em uma campanha eleitoral. Lideranças de praticamente 100% das denominações se uniram para apoiar o presidenciável e suas propostas de defesa da família e da fé cristã.

Mas o que a Igreja pode esperar do novo governo? O Boas Notícias ouviu alguns pastores de Cascavel que se mostraram confiantes de que um novo tempo surge no Brasil, com o sepultamento da velha política de esquerda que apresentou inúmeros projetos que afrontam a fé cristã.

Para o pastor Aristides Alves dos Reis, da Comunidade Cristã Ágape, a eleição de Bolsonaro foi uma intervenção de Deus sobre o Brasil. “Somente Deus para eleger um homem que saiu do nada e se fazer o nosso novo presidente”, declara.

O pastor Aristides diz que Bolsonaro representa uma nova esperança ao povo que estava desacreditado da política diante de tantos escândalos de corrupção, conchavos e enganação do povo. “Eu, inclusive, estava desanimado em relação ao sistema político do Brasil, mas de repente me vi envolvido com a política e defendi essa bandeira que o Brasil precisava mudar. Vejo com grande expectativa, vejo que o Brasil vai viver um tempo de muita glória, inclusive para a Igreja que lutou muito por essa eleição, se envolveu de uma forma muito grande. A maioria dos pastores do Brasil se envolveu orando e na campanha de Bolsonaro”, observa

O pastor Eliezer Ribeiro, da Assembleia de Deus Ministério Santo Amaro, diz que o momento é de esperança pela alternância no poder. “Acredito que o presidente eleito Jair Bolsonaro tem toda a possibilidade de fazer algo diferente para que a nossa nação possa melhorar. Lógico que ele não é o salvador da pátria, nós sabemos que só Jesus é aquele que salva, mas eu acredito que trabalhando de forma séria, debaixo de conselhos de homens de Deus, e aparentemente ele está cercado de pessoas assim, há possibilidade dele fazer algo bom para a nossa nação”, afirma o pastor.

O pastor Nildo Alves, do Mevam (Ministério Vinde Amados Meus), diz esperar que o slogan usado por Bolsonaro – “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos” – seja o reflexo do novo governo brasileiro. Ele estaca que a Bíblia ensina muito sobre governo, política, cidadania, justiça e cita como exemplo o texto de Provérbios, capítulo 29, versículo 4 onde está escrito que o governante que exerce a justiça dá estabilidade ao país, mas quem gosta de suborno leva a nação à ruína. “Já vivemos um tempo de corrupção e suborno e hoje, como brasileiro cristão, eu acredito que chegou um tempo de mudança”, observa.

Vendas somente em Cascavel

Para o pastor Nildo, o presidente eleito é um homem que luta pela família e que, no quadro político atual, só isso seria o suficiente para ele ter chegado à Presidência da República. “Família é a base de tudo. O propósito de Deus sempre foi família e hoje vemos nossa família sendo atacada em salas de aulas, programas infantis, letras de músicas, e tantas coisas mais”, ressalta.

 Mudança da embaixada

Uma decisão de Jair Bolsonaro, inspirado em uma ação do presidente norte-americano Donald Trump, e que pode trazer retaliações comerciais ao Brasil provocou bastante polêmica, mas encontra apoio no meio cristão. O presidente eleito já anunciou que vai transferir a embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém.

O pastor Aristides vê com bons olhos essa mudança e diz que haverá um alinhamento espiritual. “Israel é uma nação abençoada por Deus, nação que Deus ama e protege e nós estaremos também debaixo dessa bênção”, declara. Ele ressalta, no entanto, que o Brasil pode perder parceiros comerciais, mas acredita que Deus irá abrir novas portas para o País atingir seus objetivos comerciais.

Para o pastor Eliezer, a aproximação do Brasil com Israel é importante e ele diz que há algo de Deus neste relacionamento. “Eu acho que isso é muito bom, é muito interessante. Nossa nação vem ao longo dos anos com muitas profecias de ser o grande celeiro para envio de missionários a muitos lugares e nós temos observado isso ao longo dos anos. Eu tenho 43 anos de evangelho e desde minha infância eu tenho visto quantas pessoas tem saído da nossa nação e levado o evangelho do Senhor fora. Creio que tem algo de Deus nisso tudo e a esperança é que Jesus venha ser o Senhor do nosso país porque feliz é a nação cujo Deus é o Senhor”, observa.

 

Relacionadas

Leave a Comment