Por que levantar uma serpente?

Por Rogério Buzzi

Muitas são as lições que podemos tirar deste relato bíblico. Permita-me colocar algumas, de forma direta e inequívoca. Porque uma serpente, já que em toda a bíblia a serpente é um símbolo de Satanás?

“E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás…” (Apocalipse 12:9), e ainda: “Quem comete o pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio…”

Deus estava mostrando através da serpente levantada numa cruz, que um dia, alguém morreria por eles e por nós, e que este que morreria, morreria como o maior dos pecadores, (obviamente não há pecador maior que Satanás, já que ele é o originador do pecado), então, a lição era de que alguém morreria na cruz, mas morreria de fato como o maior dos pecadores.

Assumindo todos os nossos pecados Ele morre na cruz, mostrando que não pode haver um pecador tão grande ao qual seu sacrifício não possa alcançar.Mostra ainda uma realidade que poucos entendem.

Morrer na cruz já era péssimo, já que a dor física impetrada pela posição, os pregos que o prenderam, tudo isso provocou dores lancinantes em Cristo, mas entenda, caro leitor (a), que isso não foi nada, comparado à dor de morrer com todos os pecados sobre si, já que ao receber todos os pecados nossos sobre Ele, o Pai afasta-se do Filho, uma vez que a glória do Pai é fogo consumidor. E foi isso que arrancou do Filho de Deus, o brado em dor, que fez com que o cálice da amargura tremesse em suas mãos… “Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste?”

Lembre-se que Ele morre também no lugar de todos aqueles que finalmente rejeitarão completamente a graça oferecida e serão separados de Deus, sofrendo a destruição final.

Entender que o sacrifício de Cristo começou já no céu, quando o Filho de Deus abandona a glória, a majestade, o Reino, se transforma num ser humano, para morrer como um ser humano, é que torna ainda mais glorioso este sacrifício e demonstra como de fato que “onde abundou o pecado, superabundou a graça”.

Mas, há outro fato aqui que deve ser notado. “E como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado” (João 3:14). Nicodemos era um fariseu, (seria um pastor e líder eclesiástico nos dias de hoje) e como todos os fariseus, exaltava-se a si mesmo, atraindo o povo para si.

Nesta entrevista, Jesus lhe mostra quem deveria ser exaltado, quem deveria ser levantado para que as pessoas pudessem ser salvas.

Hoje, pastores e ministros fazem exatamente o mesmo, já que “o que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol”. (Eclesiastes 1:9).

Exaltam-se a si mesmos, falam de Cristo como falavam os fariseus, mas não o conhecem de fato, e não conhecem Seu evangelho. Pedem “palmas para Jesus”, mas pergunto: Em que lugar na bíblia vemos Jesus pedindo palmas para si? E se Ele não pede palmas para si, para quem realmente são as palmas? Quem está sendo exaltado de verdade?

É necessário que Ele (Cristo), cresça e eu diminua.

Em tempo: Nós também, todos, devemos considerar sempre nossos irmãos maiores que nós. Esta é também uma forma de “levantar” a Cristo.

Então lhes responderá, dizendo: “Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos não o fizestes, não o fizestes a mim” (Mateus 25:45).

Pensem nisso, Amados e Amadas de Deus. “Levante”, exalte a Cristo.

Sempre que possível.

Vai comer? Não tenha vergonha de, mesmo em local público agradecer.

Fale a todos que puder do amor revelado na cruz, pode até ser que você seja humilhado por alguém ao fazer isso, mas lembre-se: “E o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado” (Mateus 23:12).

Rogério Buzzi é escritor

Related posts

Leave a Comment