Operação Ágata 21 deflagra ações para combater e reprimir crimes na fronteira

Forças de Segurança do Paraná integram a Operação que foi desencadeada na sexta-feira (12). Ela é encabeçada pela 5ª Divisão do Exército.

O secretário estadual de Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, reuniu-se em Foz do Iguaçu nesta segunda-feira (15) com o comandante da 5ª Divisão do Exército, general Carlos José Russo Assumpção Penteado, e demais representantes de órgãos de segurança estaduais e federais, para discutir e traçar estratégias da Operação Fronteira Sul – Ágata 21.

O Paraná integra a operação encabeçada pela 5ª Divisão do Exército para combater e reprimir crimes nas fronteiras. Ela foi desencadeada na sexta-feira (12). Estão sendo feitos bloqueios nas rodovias, patrulhamento fluvial, e abordagens e fiscalizações nas principais vias de acesso ao Estado pela região fronteiriça que, dentre as primeiras ações, resultou no prejuízo de cerca de R$ 15 mil ao crime organizado.

De acordo com Marinho, a pasta estadual da Segurança Pública está o aproveitando a operação para outras ações de interesse das polícias Militar e Civil nesta área. “Queremos combater, principalmente, o narcotráfico, o contrabando, o descaminho, o tráfico de armas, homicídios, furtos e roubos, bem como crimes ambientais. Acima de tudo, a operação fortalece a presença do Estado na região e traz segurança à população paranaense”, afirmou.

Nos primeiros dias de operação, a atuação das equipes resultou na apreensão de mil maços de cigarros contrabandeados, 80 gramas de maconha e cerca de R$ 10 mil sem procedência legal. Foram feitos 162 postos de bloqueio e controle de estradas e dois postos de bloqueio e controle de vias urbanas. O trabalho direto das equipes pela região fronteiriça resultou em 72 ações de patrulhamento motorizado, 14 patrulhamentos a pé e quatro ações de patrulhamento fluvial.

Estão integrados nesta ação o Departamento de Inteligência do Paraná (DIEP); a Polícia Civil, com cinco subdivisões e o Grupamento de Operações Aéreas (GOA-PCPR); a Polícia Militar (14º BPM, 19º BPM, 21º BPM, 25º BPM e 3ª CIPM); o Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFRON); o Batalhão de Polícia Ambiental – Força Verde (BPAMB-FV); o Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRV); a Polícia Científica; o Departamento Penitenciário (Depen); a Polícia Rodoviária Federal (PRF); e o Exército Brasileiro, por meio da 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada.

PROGRAMA – O Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF) articula ações conjuntas para reprimir o crime. As principais atividades executadas nesta operação são o patrulhamento fluvial e terrestre, a distribuição das equipes no cumprimento de mandados de busca e apreensão, a interdição de atracadouros clandestinos, fiscalização das rodovias federais e encaminhamento de suspeitos em flagrante delito. O Batalhão de Polícia de Fronteira e o Batalhão de Polícia Ambiental – Força Verde colaboram com a ação.

A operação acontece em toda a região fronteiriça que vai de Querência do Norte, no Noroeste, até os limites de Barracão, no Sudoeste, abrangendo toda faixa de fronteira com o Paraguai e a Argentina, com pontos de bloqueio nas principais vias de acesso como a BR-163 (fronteira com a Argentina), a BR-277 (fronteira com o Paraguai), a BR-163 e a BR-487 (divisa com o estado do Mato Grosso do Sul), e nos portos de Santa Helena (região fluvial interligada com o Paraguai) e Querência do Norte (região da balsa que tem conexão com Naviraí).

PARTICIPANTES – Participaram da reunião na segunda-feira o diretor-geral da Polícia Científica, Luiz Rodrigo Grochocki; o diretor da PEPG, Luiz Francisco da Silveira; o comandante do BPFron, major André Cristiano Dorecki; o comandante da 5ª CIA do BPAmb de Foz do Iguaçu, capitão César Sebastião da Silva; o diretor da Penitenciária Estadual de Foz do Iguaçu, Marcos Aparecido Marques; o superintendente da Polícia Federal no Paraná, Omar Gabriel Haj Mussi; o superintendente da Polícia Rodoviária Federal, Guido Marcelo Mayol; o chefe de Engenharia da Secretaria da Segurança Pública, major Ivan Ricardo Fernandes; e o delegado da Alfândega da Receita Federal de Foz do Iguaçu, Paulo Sérgio Cordeiro Bini.

Foto: Divulgação SESP

(AENPR)

Relacionadas

Leave a Comment