O que pensam a seu respeito é importante?

Nadir Henrich, é pastor em Cascavel

Ouço muitas pessoas afirmando que o que os outros pensam sobre elas não importa, bem eu não sei se isso realmente é verdade. Eu tenho algumas experiências sobre isso e quero refletir com você.

Há duas coisas a considerar sobre este tema, o primeiro é que pessoas que não exercem muita influência sobre nós, aquelas que não temos algum tipo de relacionamento mais próximo de fato não nos afeta muito, segundo aquelas a quem temos uma certa afinidade, uma amizade mais profunda, importa sim!

Não adianta dizer que não, podemos até falar isso da boca pra fora, mas o fato é que todos nós queremos ser respeitados, queremos ser entendidos e buscamos um certo nível de aprovação, não dá pra fugir disso a não ser que não sejamos honestos.

Outro dia escrevi aqui no blog sobre a carência afetiva e pontuei alguns sintomas da pessoa que sofre dessa disfunção da personalidade, porem relendo o texto fiquei pensando se as pessoas não iriam confundir “necessidade afetiva com carência afetiva” eu não quis dizer no referido artigo que não temos necessidade de afeto, da mesma forma eu quero com esse texto aqui salientar que em uma certa medida claro que o que pensam a nosso respeito importa sim.

Da mesma forma como não podemos no deixar vencer pela carência de afeto do mesmo modo não podemos é deixar que nosso valor ou nossa pessoa seja definida pelo que os outros pensam a nosso respeito.

E já ouvi muitas coisas a meu respeito algumas me incomodaram muito outras nem tanto, algumas nem um momento levei a sério, com o tempo algumas se mostraram verdadeiras e tive que ter a coragem de encarar os fatos, confesso isso dói!

Para deixar um exemplo quero compartilhar uma experiência, certo dia cheguei em um local e percebi uma pessoa, a qual tenho estima, falando sobre mim com outra pessoa. Ela não percebeu minha presença e pude escutar a conversa. O que aquela pessoa estava dizendo era em partes verdade, porem a leitura sobre mim que ela apresentava para a outra pessoa deixava uma imagem pouco negativa sobre mim! E aí?

Bom a princípio minha vontade era de confronta-la, (não sou do tipo de deixar pra lá) porem tenho aprendido muito o que significa “aprendei de mim que sou manso e humilde de coração”. Eu agi com naturalidade como se nada tivesse ouvido, mas sai dali chateado, aquilo de fato me incomodou, me deixou triste. Dentro de mim a vontade era de me defender e dizer “Não é bem assim, você está deixando uma imagem ruim de minha pessoa”.

É fato que tem pessoas que são totalmente reativas e suscetíveis a opiniões dos outros, mas descartando esse ponto quero dizer que isso incomoda sim, nos deixa triste, então o que podemos tirar de lição deste tema “O que os outros pensam de nós?”

Primeiro, as pessoas sempre vão nos criticar ou emitir opinião sobre nós e nossas atitudes, sejam essas opiniões agradáveis, favoráveis ou não. Nós não somos perfeitos, cometemos erros e certamente seremos avaliados sempre.

Segundo, não temos controle sobre o que os outros dizem. Não há como querer unanimidade de opinião e aprovação cem por cento das pessoas, nem Jesus conseguiu tal façanha.

Terceiro, muitas pessoas com graves disfunções, para ter aprovação ou admiração, falam mal de outras pessoas tirando o foco de seus próprios defeitos, procure identifica-las, essas pessoas são toxicas e o melhor é afastar se!

Quarto, o que opinam sobre nós pode ser verdade, seja honesto e procure crescer nesse ponto de deficiência.

Quinto evite defender-se, seja você mesmo e deixe que as pessoas te conheçam e te amem de verdade, não temos que ser perfeitos, quem é nosso amigo nos ama e compreende isso. Amigos de verdade não jogam na lata do lixo uma relação conosco por não sermos perfeitos.

Sexto, aprenda com a dor. É das pessoas que mais nós amamos e consideramos que suas opiniões podem nos machucar, e compreenda, se dói em você dois nos outros certo? Então evite denegrir a imagem de alguém, sempre que se pegar falando de alguém e o que você estiver falando vai deixar uma imagem ruim da pessoa, pare!

Por último perdoe, lembre-se em algum momento você já caiu nesse mesmo erro. Precisamos perdoar pois da mesma forma, nos também precisamos de perdão!

Todavia, a mim mui pouco se me dá de ser julgado por vós, ou por algum juízo humano; nem eu tampouco a mim mesmo me julgo. Porque em nada me sinto culpado; mas nem por isso me considero justificado, pois quem me julga é o Senhor. 1 Coríntios 4:3,4

 

Relacionadas

Leave a Comment