Moção expressa repúdio à ministro da Infraestrutura em questão do pedágio

Os vereadores aprovaram por unanimidade nesta terça-feira (18) a Moção de Repúdio 26/2021 endereçada ao Ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, que em reunião com a Frente Parlamentar da Agropecuária afirmou que a nova concessão do pedágio no Paraná irá seguir o modelo híbrido com limitação dos valores de desconto e manutenção do critério de desempate com base no maior valor pago ao governo federal, inviabilizando a redução da tarifa, causando inumeráveis prejuízos ao setor produtivo de todo o Paraná e ao conjunto dos usuários.

Proposto pelo vereador Edson Souza (MDB), o documento foi assinado ainda pelos vereadores Alécio Espínola, Beth Leal, Cabral, Celso Dal Molin, Cidão da Telepar, Cleverson Sibulski, Edson Souza, Josias de Souza, Dr. Lauri e Melo. “Nosso Estado sofreu com o modelo adotado no contrato que finda ao final do ano de 2027. Foram longos 20 anos em que as tarifas foram exorbitantes, poucas obras e uma infindável serie de transtornos aos usuários e, em especial, ao setor produtivo do Paraná”, destacou Edson Souza.

Os vereadores destacaram que este é o momento da sociedade se manifestar e discutir o modelo que melhor contempla os interesses de usuários e produtores, que serão de fato impactados pelo pedágio.

A moção será encaminhada ao Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, Ministro de Estado da Infraestrutura do Brasil, Tarcísio de Freitas, Presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, dando ciência a bancada dos Senadores do Paraná, ao Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, dando ciência a bancada de deputados federais do Paraná.

Foto: Flavio Ulsenheimer/ Assessoria CMC

Assessoria de Imprensa/CMC

Relacionadas

Leave a Comment