Empréstimo consignado sem autorização: Saiba como reclamar

Procon Cascavel tem recebido reclamações diariamente

O caso recorrente tem tirado o sono de aposentados e pensionistas em todo o Brasil.
Trata-se de empréstimos consignados não solicitados e com o desconto das parcelas em suas contas destinadas ao recebimento de benefícios de aposentadoria e pensão do INSS.
Em Cascavel, as situações também estão bem frequentes, pelo menos três vítimas por dia no Procon (Procuradoria de Defesa do Consumidor).
A coordenadora do Procon/Cascavel, Danielle Magnabosco diz que as denúncias de crédito consignado dispararam após a pandemia.
“É uma situação muito grave que tem atingido pessoas em todo o Brasil. O consumidor percebe que tem um valor maior na sua conta ou um desconto no valor do benefício”.
Segundo o Procon de Cascavel, todos os dias consumidores que se sentem levados procuram o órgão para denunciar. E o problema é que a maioria das vítimas é idosa e não sabe o que fazer para cancelar o contrato e muitas vezes gastam esse dinheiro que tem juros altíssimos.
“Peçam a um familiar para ajudar a acessar a plataforma do Consumidor.gov, a reclamação é feita de casa mesmo”, ressalta a coordenadora.
A aposentada Dorvalina Machado recebeu um valor sem pedir empréstimo consignado. Ela procurou hoje o Procon para formalizar a irregularidade.
“Percebi quando fui sacar o benefício e vi que tinha apenas 80 reais. Agora não sei o que fazer para pagar as contas”. Dorvalina pensoi que o valor era o décimo terceiro e acabou usando todo o valor que estava na conta.
Como reclamar 
O primeiro passo, para registrar a irregularidade contra as financeiras por liberação indevida de empréstimos em contas bancárias de aposentados e pensionistas, é juntar alguns documentos.
As vítimas precisam pegar junto ao INSS um extrato completo do benefício, basta acessar na internet Meu.INSS 
Com esse extrato você vai saber por exemplo qual instituição financeira fez o repasse.
Depois disso registrar um Boletim de Ocorrência (BO) no site da Polícia Civil do Paraná.
“Se você é uma das pessoas que foi vítima faça os registros on-line, entra na plataforma Consumidor.br, junta os documentos e em até dez dias uma resposta deve ser dada ao consumidor”.
Se houve danos materiais ou morais uma ação judicial pode ser ajuizada com ajuda de um advogado para ressarcimento dos danos. “É importante registrar o Boletim de Ocorrência para que haja a investigação criminal do caso e, nesses casos, também ajuizar ação para que a instituição financeira seja responsabilizada pelo uso indevido dos dados e pelos danos morais e materiais causados”, finaliza a coordenadora Danielle.
Foto e Texto: Secom Cascavel

Related posts

Leave a Comment