Corujão da vacinação é nova estratégia para ampliar campanha no Paraná

A imunização começou a ganhar novo corpo com a chegada de mais vacinas e a perspectiva de alcançar mais públicos prioritários num futuro próximo. Estado está à frente de alguns países da Europa em relação à velocidade de imunização.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou nesta terça-feira (6) no Palácio Iguaçu que a campanha de vacinação no Paraná vai até a meia-noite a partir dos próximos dias em alguns municípios, esforço que se soma à campanha de domingo a domingo para agilizar a imunização no Estado. A ideia é acelerar a aplicação das doses que estão disponíveis.

O Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19 começou a ganhar novo corpo com a chegada de mais vacinas e a perspectiva de alcançar mais públicos prioritários num futuro próximo, como pessoas com comorbidades e profissionais da educação. Até a manhã desta terça-feira 1.213.773 pessoas tinham sido imunizadas no Estado com a primeira dose e 266.704 com a segunda dose, segundo o Vacinômetro, o que significa que 11,62% da população geral foi imunizada, acima da média nacional (9,4%).

“A ideia é ir até meia-noite em alguns municípios que precisam desse apoio. Estamos criando condições para auxiliar a acelerar a aplicação. Tem município veloz, mas alguns não conseguem ter essa dinâmica. São 399 realidades diferentes. Por isso precisamos dessa união”, afirmou Ratinho Junior.

Ele também disse que o Paraná está entre entre os dez estados que vacinam mais rapidamente a população e que há agilidade na distribuição estadual, com apoio de aeronaves e caminhões refrigerados.

“Detectamos que alguns municípios tinham receio de acabar com a aplicação das doses, mas a ideia é que acabe mesmo. Quanto antes imunizarmos as pessoas menores são as chances delas desenvolverem alguma forma grave. Se acabar antes, ótimo. Se os municípios puderem fazer a campanha todos os dias, também é importante”, acrescentou.

O governador frisou que o Paraná formalizou a intenção de compra de 16 milhões de imunizantes e ainda aguarda posicionamentos dos laboratórios. A negociação está sendo feita pelo Consórcio Paraná Saúde. O Governo do Estado também aderiu ao movimento Unidos pela Vacina para facilitar a distribuição de imunizantes e insumos a todos os brasileiros até o final do ano, com objetivo de agregar esforços das iniciativas pública e privada.

“Desde o ano passado começamos a conversar com diversos laboratórios. Optamos em fazer essa conversa ampla e dinâmica, mas eles estão empenhados em fazer a venda direta para o Ministério da Saúde. Todos estão atendendo o governo federal com a produção que já existe. Há uma disputa global por esses imunizantes”, disse o governador.

BALANÇO – Ratinho Junior também fez um balanço da vacinação no Paraná. Ele citou que o Estado está à frente de alguns países da Europa em relação à velocidade de imunização. Cerca de 13% da população de 18 anos ou mais recebeu a 1ª dose da vacina, número superior à Alemanha, Holanda, Grécia e Croácia.

Em outro recorte, da população de mais de 80 anos imunizada, o Paraná ultrapassou índice de 85%, à frente de Portugal, Finlândia, Dinamarca e Noruega. Em relação à população de mais de 60 anos, o Estado está na frente de Bélgica e Portugal, por exemplo. Os números foram levantados pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes).

O governador também disse que o Estado está auxiliando os municípios com insumos, política que começou antes mesmo da vacinação, com a preparação das 1.850 salas e treinamento dos vacinadores. Já foram entregues 11 milhões de agulhas e seringas e outras 34 milhões estão em licitação, com investimento de quase R$ 20 milhões.

Ele também afirmou que já foram adquiridos 21 câmaras para conservação de imunizantes, 23 unidades de ar-condicionado, 24 freezers comuns e quatro contêineres para conservação de vacinas. Ainda estão em licitação mais 110 câmaras de conservação. O investimento ultrapassa R$ 15 milhões e permite ao Estado se antecipar para o momento da chegada de lotes maiores do Ministério da Saúde.

Related posts

Leave a Comment