Pastora Giacomina: trajetória de decisão, fé e dedicação à obra

Uma das pastoras mais antigas de Cascavel, Giacomina Fantiel Dal Molin foi promovida nesta terça-feira ao Reino Celestial aos 85 anos. O corpo será velado no Cemitério Jardins

Cascavel perdeu nesta terça-feira (2) uma das pastoras mais antigas da cidade. Giacmona Fantiel Dal Molin morreu aos 85 anos e seu corpo está sendo velado no Cemitério Jardins, onde será sepultada. A história da pastora Giacomina, que trabalhou na obra praticamente até os últimos meses de vida, foi contada pelo Boas Notícias na edição impressa de junho de 2009, quando ela tinha 75 anos.

Catarinense natural de Caçador durante muitos anos dirigiu a 2ª Igreja do Evangelho Quadrangular, no bairro Floresta. Guerreira, amorosa, sábia, decidida, organizada e, acima de tudo, fiel ao seu propósito de servir a Deus, pastora Giacomina teve sua carreira ministerial marcada pela dedicação, fé e amor ao reino de Deus.

Dos nove filhos que teve do seu casamento com Alcides Dal Molin surgiu uma família numerosa e abençoada. Desta geração, mais de 12 descendentes da pastora Giacomina estão envolvidos diretamente com a obra de Deus, entre eles pastores e missionários.

Em 1947 seus pais Natal Fatinel e Adelina Zardo Fatinel decidiram mudar para o Paraná. Mesmo contrária a ideia, Giacomina, então com 14 anos, suas três irmãs e um irmão vieram para Pato Branco, no Sudoeste do Paraná, cidade onde começou a trabalhar como professora na Escola Dom Pedro II. Ligada à Igreja Católica, Giacomina trabalhou como catequista, secretária do apóstolo de oração e equipe litúrgica. Como professora primária, lecionou durante 30 anos até se aposentar em 1979.

Os desafios após chegar em Cascavel

Pastora Giacomina

Giacomina Fantinel Dal Molin ainda não era pastora quando chegou a Cascavel em 1980. Depois de muito procurar, encontrou a Igreja do Evangelho Quadrangular, que na época tinha na superintendência regional o pastor Darci Miranda Gonçalves. Convidada a participar da igreja, logo ela assumiu lideranças na Escola Bíblica Dominical (EBD), Diaconato e ainda foi secretária do Grupo de Senhoras e da própria igreja.

Em 1982, o Grupo de Senhoras da igreja sede contava com aproximadamente 200 sócias divididas em grupos com os nomes das cores da igreja (vermelho, amarelo, azul e roxo). A líder do Grupo de Senhoras, pastora Ione de Freitas convidou as líderes dos quatro grupos a abrirem novas congregações.

Giacomina, que liderava o Grupo Vermelho, abriu uma congregação no bairro Floresta, em 1983. O trabalho iniciou com muito empenho e dedicação. No dia 11 de novembro do ano seguinte, já com 51 membros, a congregação foi elevada à igreja e a irmã Giacomina, assumiu como pastora titular da 2ª IEQ.

O templo construído em uma casa do BNH

O local onde os trabalhos iniciaram, era uma casa popular do antigo Banco Nacional de Habitação (BNH), comprada pela sua filha Lucimar Dal Molin, hoje também pastora.

Os problemas cotidianos não eram empecilhos para a pastora Giacomina fazer a obra de Deus. “A vimos muitas vezes com dores, cansada e tantas outras coisas que abatem um ser humano, porém, nunca se entregou, pelo contrário, sempre a vimos em seu lugar no púlpito, tendo o controle desta grande obra que o Senhor colocou em suas mãos para realizar”, contou ao Boas Notícias, em 2209, o filho Celso Dal Molin, pastor e atualmente vereador em Cascavel.

Estudo da Bíblia revelou a verdade que liberta

História da pastora Giacomina foi contada pelo Boas Notícias em junho de 2009

Ao lado de dois padres católicos, Giacomina passou a fazer estudos bíblicos e com o passar do tempo descobriu os estava vivendo sob um jugo. Ao perceber os errôneos ensinamentos aos quais estava submetida, não hesitou em abandonar o catolicismo e seguir apenas os ensinos da Palavra de Deus. No dia 26 de julho de 1976 ela aceitou a Jesus como Salvador, após conhecer o casal de pastores Lodovico e Lurdes Bonfanti.

Foi este casal que orou por ela na Igreja do Evangelho Quadrangular (IEQ) de Pato Branco. A partir de então, ela passou a desenvolver atividades como auxiliar do pastor, diaconisa e professora de escola bíblica. Ela também morou na cidade de Clevelândia, onde serviu a Deus na IEQ local.

Deixe uma resposta