“Me feriram muito no meu último ministério!”. Preciso da Graça maior que o Instinto de Auto Preservação

Pastor Marcelo Xaviér – Cascavel (PR)

O Instinto de Auto-preservação é uma benção de Deus. Ninguém nunca odiou a sua própria
carne, pelo contrário, a alimenta e sustenta. Evitar a dor, buscar prazer, são mecanismos quase
inconscientes do ser humano. No entanto, em algumas situações, o extremo da autopreservação,
torna o ser humano sucetível a tormentos terríveis. Isto acontece pelo fato do
ambiente ameaçador, traiçoeiro em que o ser humano da atualidade vive.

O “instinto de auto-preservação”, na verdade é muitas vezes um reflexo aprendido. Muitas
vezes ele é pecado. Esta é a instância aonde em nome de uma auto-preservação o ser humano
se torna agressivo, vingativo, amargurado, magoado, não perdoador. Isto acontece por causa
de um conceito errado sobre si mesmo. Neste momento o referido ser humano (que somos),
se enche de auto-piedade, auto-indulgência. A imaginação humana aliada a estes sentimentos
produz vinganças “interiores”, “vinganças de crente”, produzidas em seu próprio coração. Estas
dificilmente serão efetivadas exteriormente.

Como funcionam estas “vinganças de crente”. São assim: “não amarei mais este irmão em
meu coração”. “De hoje em diante perdoarei menos este ‘querido’”. “Eu o perdoarei, mas vou
me afastar porque ele pode me ferir novamente”. Nos consolamos então com aqueles salmos
imprecatórios de Davi, querendo trazer o Antigo Testamento para os nossos relacionamentos
da era cristã. Acho que não chegamos a querer dar com os pequeninos da família do
“desafeto” nas pedras (Sl 137.9), mas por outro lado não oferecemos a outra maçã do rosto.
A bíblia garante que isto que fazemos se chama amargura é retido o fluir da graça para nós e
através de nós. A graça só flui para os que podem ser feridos novamente e não querem ferir
mais. Isto nos machuca irmão … Aquele que fez a ferida a ligará. “(Jó 5:18) – Porque ele faz a
chaga, e ele mesmo a liga; ele fere, e as suas mãos curam.” Ninguém que não seja ferido por
Deus, pode experimentar sua graça.

(Zacarias 13:6) – “E se alguém lhe disser: Que feridas são estas nas tuas mãos? Dirá ele: São
feridas com que fui ferido em casa dos meus amigos.” Pense. (Salmos 55:12-14) – “Pois não
era um inimigo que me afrontava; então eu o teria suportado; nem era o que me odiava que se
engrandecia contra mim, porque dele me teria escondido. Mas eras tu, homem meu igual, meu
guia e meu íntimo amigo. Consultávamos juntos suavemente, e andávamos em companhia na
casa de Deus.” Agora, qual será nossa atitude: “(Salmos 55:15) – A morte os assalte, e vivos
desçam ao inferno; porque há maldade nas suas habitações e no meio deles.”? Não temos
mais revelação do que Davi? Não vivemos no tempo do Novo Testamento?

Lemos em I Pedro 2:20-24 – “Mas se, fazendo o bem, sois afligidos e o sofreis, isso é agradável
a Deus. Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o
exemplo, para que sigais as suas pisadas. O qual não cometeu pecado, nem na sua boca se
achou engano. O qual, quando o injuriavam, não injuriava, e quando padecia não ameaçava,
mas entregava-se àquele que julga justamente; Levando ele mesmo em seu corpo os nossos
pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça;
e pelas suas feridas fostes sarados.

Será que entendemos bem? Fomos chamados para o ministério das feridas? Sim. É pelas
feridas de Jesus que somos sarados. E somos chamados para pelas nossas feridas sararmos
muitos também. Como isso concorda com Colossenses 1:24 – “Regozijo-me agora no que
padeço por vós, e na minha carne cumpro o resto das aflições de Cristo, pelo seu corpo, que é
a igreja;” Paulo convida Timóteo também: (II Timóteo 1:8) – “ Portanto, não te envergonhes
do testemunho de nosso SENHOR, nem de mim, que sou prisioneiro seu; antes participa das
aflições do evangelho segundo o poder de Deus.”

As feridas são inevitáveis. Para que sejamos realmente sarados pelas feridas de Jesus
precisamos dar graças a Deus pelas que recebemos. Não questionar “porquês”. Com Cristo se
morre sempre das feridas e se levanta ressuscitado pela graça. “Posso ser ferido”. O crente
precisa ser vulnerável.

Lembramos a ofensa e o ofensor. Irmão fulano me machucou muito naquele ministério. Irmão
fulano me perturbou. Irmão fulano foi uma pedra no meu sapato. Quanta dor e amargura que
ainda machucam, nestas palavra. Por isso a palavra de Jesus, abençoai, não maldizei. Quando
sou ferido meu impulso me leva a me afastar de quem ou do que me causa dor. Como quando
afasto a minha mão do espinho da rosa quando me fere.

A palavra do Senhor recomenda o oposto. Por causa do que Jesus fez por você, vá para a sua
Jerusalém, caminhe para sua cruz, não se defenda, não retruque, deixe que te batam. Não faça
isso simplesmente por masoquismo (prazer mórbido pela dor), mas pelo amor maior, pela
graça que lhe é concedida. Busque os que te machucaram para amá-los. Ore por eles, pedindo
a orientação de Deus como fazê-los. Nunca apóie seus pecados, mas apóie completamente as
suas vidas.

O chamado é para recebermos os socos. É a única maneira de causarmos impactos nestes
corações. Quando teu irmão te bater não o mate, Abel. É impossível não virem os socos. O
amor maior vencerá a força do ódio. O perigo é o mal entrar através das feridas. Um soco
vem com uma proposta da comunhão do ódio. Não é como um toque de carinho, não é como
um abraço de irmão que convida à comunhão e novo abraço, a oração e a conversas
profundas. Um soco é uma proposta de compartilhamento de um mal. Que pode ser
compartilhado à dois ou mais. É a proposta da habitação de Satanás no meio do povo que
quer ser dele pelo pecado e amargura. “Não te deixes vencer do mal, mas …”

Por que a tua e a minha mão não podem ser marcadas … Por que não posso chorar pelo meu
irmão … Por que tenho que me livrar, por que tenho que me preservar … Por que não posso
morrer? … Por que tenho que me explicar … Por que tenho que me defender … As feridas
em nosso corpo, abertas em sangue (em nome de Jesus), derramarão graça. O sangue
derramado é graça para curar a muitos. Deixe o sangue correr. Ferido de Deus, você também
vai ver a tua prosperidade no teu Senhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *