Evangélico, dono da Riachuelo defende a família em Cascavel

Membro da Igreja Sara Nossa Terra e pré-candidato à Presidência da República pelo PRB, o empresário Flávio Rocha, dono da rede de lojas Riachuelo, esteve na manhã desta quarta-feira (16) em Cascavel para defender sua plataforma de governo.

A palestra foi na Associação Comercial e Industrial de Cascavel (Acic).

Ele destacou que é preciso resgatar valores e impedir os ataques contra instituições estabelecidas e contra a família.

“A demanda que está no coração do eleitor é um projeto que destrave a economia através das ideias boas, da liberdade econômica, de tornar o Brasil receptivo ao investimento, mas também uma reação indignada contra a inversão de valores que tem havido em todas as áreas da vida. Ataque a família, ataque as instituições, ataque a polícia de todos os lados”, observou.

Questionado sobre seu posicionamento em relação ao casamento homoafetivo, Rocha destacou que isso já está na legislação e lembrou que duas pessoas adultas têm a liberdade de fazer o contrato de convivência que quiserem, mas ressaltou:

“Mas eu como liberal não posso permitir que o estado intervenha numa instituição privada numa igreja ou instituição qualquer para ditar normas”, declarou.

Economia

Rocha defendeu uma reforma no sistema financeiro para encurtar a distância entre a taxa de juros oficial e o que é cobrado pelos bancos.

“Temos o patamar mais baixo da Selic (taxa básica de juros) e a Selic não chega à ponta porque se transforma em spread com um telefonema”, criticou.

Para ele, a reforma financeira seria tão importante quanto as outras quatro defendidas pelo atual governo.

Ele também fez críticas aos extremismos de esquerda e direita que tomaram conta da pré-campanha presidencial ao qual chamou de dois icebergs. Ele fez críticas diretas a Jair Bolsonaro, pré-candidato à Presidência pelo PSL. “O desapreço pela democracia eu acho que é muito perigoso”, destacou.

Deixe uma resposta