Deputado profetiza cura de colega tetraplégica em sessão da Câmara

Conhecido por declarações e opiniões extravagantes – como a defesa do fechamento do Congresso Nacional – o deputado federal e, pelo menos até agora, pré-candidato a presidente da República pelo Patriota, Cabo Daciolo (RJ), subiu nesta quarta-feira (11) na tribuna do plenário para profetizar a cura de uma colega. Daciolo, com a Bíblia nas mãos, anunciou que em minutos a deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), deixaria a cadeira de rodas e começaria a andar entre os deputados.

Gabrilli foi vítima de um acidente de carro em 1994, em São Paulo, que a deixou tetraplégica. Desde então, a parlamentar atua na defesa dos direitos das pessoas com deficiência e, recentemente, foi eleita a primeira representante do Brasil no comitê da Organização das Nações Unidas (ONU) para Pessoas com Deficiência.

Daciolo iniciou seu discurso afirmando que iria parecer loucura o que diria. Disse preferir a loucura de Deus que a sabedoria dos homens. E que não estava ali para pregar, mas para falar de uma mulher especial, a deputada Gabrilli.

O deputado afirmou que há dois anos Deus pede que intervenha junto à parlamentar, com uma missão.

  
Sorry, the video player failed to load.(Error Code: 101104)

“Há dois anos Deus me cobra para falar algo para essa deputada. Há dois anos Deus me toca, no meu coração, para me colocar diante dela. Mas me acovardei. Me acovardeis. E Deus fez com que ela aparecesse no corredor. E me disse: fala com ela agora!”

Na sequência, Daciolo pergunta se Gabrilli estava no plenário. E estava, no fundo daquele espaço, onde sempre se posiciona. Ele abriu a Bíblia e afirmou que iria estender a mão para curar e realizar maravilhas por meio de Jesus Cristo.

“Quero, diante de todos, profetizar a cura da deputada Mara. Creio que isso vai acontecer. Peço ao Deus das causas impossíveis que ele possa estender a mão dele e tocar na sua serva. Colocar as mãos sobre os enfermos e eles ficarão curados, diz a Bíblia. Sei que estou diante de descrentes. Vou me dirigir a ela e pedir para orar. Em alguns minutos ela voltará a andar aqui nesse plenário”, afirmou o deputado.

A assessoria da deputada informou que ela está acostumada com manifestações de pessoas religiosas, até mesmo nos corredores da Câmara. E que isso não a constrange. Mas considerou inadequada a manifestação de Daciolo feita em discurso no plenário da Casa.

(As informações são da Gazeta do Povo)

Deixe uma resposta