Colégio Adventista promove semana de conscientização contra o abuso sexual infantil

As ações tiveram o apoio de uma ONG e procuraram instruir alunos, pais e comunidade através de palestras e distribuição de materiais da campanha Quebrando o Silêncio

Por Juliana Muniz

Com a chegada do dia 18 de maio, data nacional de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, o Colégio Adventista de Cascavel promoveu diversas ações para discutir, conscientizar e instruir alunos, pais e comunidade sobre o tema. “Aqui em nossa cidade pouco se fala e, consequentemente, pouco se sabe sobre esse assunto. E o colégio pode ser uma porta aberta pra quebrar esse tabu e informar sobre essa questão tão séria”, explica Eduardo da Silva, vice-diretor do colégio.

Durante uma semana, a escola procurou instruir alunos através de uma programação especial com a exibição do filme O Silêncio de Lara e palestras que reforçaram a importância de se quebrar o silêncio e procurar ajuda. Os pais também foram instruídos durante uma palestra que explicou como e onde a maioria dos abusos ocorre, os sinais que a criança ou adolescente pode emitir ao enfrentar essa situação e sintomas que podem se desenvolver na vítima, como depressão.

“Os pais estavam muito atentos a tudo que foi abordado na palestra. Justamente por ser um tabu, não se tem muito conhecimento do assunto. Eles não sabem como prevenir, como detectar. E ao assistir a palestra, foram instruídos inclusive sobre como lidar com a situação, caso seja detectado algum abuso dentro da família”, ressalta o vice-diretor.

Além da programação desenvolvida com pais e alunos, o colégio também promoveu uma ação de conscientização nas ruas, através da distribuição de revistas do projeto Quebrando o Silêncio. Silva explica porque é importante envolver os alunos, “o filme O Silêncio de Lara traz uma realidade muito forte que a maioria deles não conhece, então quando você passa isso para eles e dá a oportunidade para que saiam de dentro da escola pra, quem sabe, ajudar alguém que está passando por isso entregando um material instrutivo, falando alguma coisa para as pessoas, eles se sentem muito úteis e por isso é muito importante não só ouvir, mas também participar”.

Suporte à vítima

Todas as ações foram realizadas com o apoio da Abusados Sexualmente Anônimos (ASA), uma ONG que possui uma parceria com a unidade escolar há cerca de um ano. Silva explica que a parceria é fundamental pois além de contar com o apoio de profissionais para a divulgação de informações, o colégio também encaminha para ASA, alunos que procuram a coordenação para relatar o sofrimento de algum tipo de abuso. “O colégio possui a pastoral para aconselhamentos, mas é fundamental que esses casos também sejam acompanhados por profissionais da área psicológica. E a ASA oferece esse suporte gratuitamente tanto para o aluno, como para sua família”.

Deixe uma resposta