Bolsonaro cita a Bíblia e diz que será escravo da Constituição

Preferido entre os evangélicos, o candidato à Presidência da República Jairo Bolsonaro fez questão de agradecer as lideranças evangélicas em entrevista ao vivo ao Jornal Nacional na noite desta segunda-feira (8) e disse que sua bandeira se baseia no Evangelho de João 8:32 onde está escrito “e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”.

Ele negou que pretenda acabar com o Bolsa Família e sugeriu que vai aumentar o valor pago.

“Nós não pretendemos acabar com o Bolsa Família, muito pelo contrário, devemos combater as fraudes para que aqueles que realmente precisam possam ter um dinheiro um pouco maior. Homens e mulheres do Bolsa Família, fiquem tranqüilos”, disse.

Renda revertida para projeto missionário. Vendas apenas em Cascavel

Bolsonaro também criticou declarações feitas pelo seu vice, o general Hamilton Mourão, a quem chamou de “Augusto”, mas depois corrigiu. O general havia falado em uma nova Constituição e ainda em perpetrar um “autogolpe”.

“Ele é general, eu sou o capitão. Mas eu sou o presidente. O desautorizei nesses dois momentos. Ele não poderia ir além daquilo que a Constituição permite. Jamais eu posso admitir uma nova Constituinte até por falta de poderes para tal. E a questão de autogolpe? Não sei, não entendi direito o que ele quis dizer naquele momento. Mas isso não existe. Se estamos disputando as eleições é porque nós acreditamos no voto popular. E seremos escravos da nossa Constituição”, declarou.

 

Deixe uma resposta