Alécio quer aproximar Câmara da população

Jornalista, líder comunitário, membro da Igreja Adventista, o futuro presidente da Câmara de Vereadores de Cascavel, Alécio Espínola, quer aproximar o Legislativo da população a partir de 2019. De família tradicional, Alécio iniciou sua vida pública como líder comunitário quando foi eleito presidente do Bairro Paulo Godoy, em 2005. Ele decidiu disputar a presidência da Associação de Moradores por um motivo apenas: Lutar para que o bairro tivesse as ruas asfaltadas.

“Eu tinha só uma coisa na cabeça: nós não tínhamos asfalto e a nossa vida era muito difícil. Um dia eu cheguei em casa e falei para minha esposa que eu iria disputar a eleição para presidente do bairro e ela me falou ‘de maneira alguma’. Eu falei que estava ouvindo no radio e lendo no jornal que há verbas para asfalto, mas não tem projeto. Nós temos que lutar, não podemos ficar aqui comendo poeira e amassando barro. Meu intuito era somente o asfalto”, relata. Ele foi eleito presidente e no mesmo ano o bairro foi asfaltado.

Estimulado por um dos irmãos, Alécio decidiu disputar uma vaga na Câmara de Vereadores de Cascavel em 2012, não obteve sucesso nas urnas, mas nem por isso ficou com ressentimentos. Em 2016 voltou a disputar uma das 21 cadeiras do Legislativo e, desta vez, foi eleito e se tornou líder do governo Paranhos, o que ele considera uma responsabilidade grande por ser o responsável em dialogar em nome do prefeito com os outros 20 colegas de Câmara.

“Acho que fiz isso com muito esmero e responsabilidade porque não tive nenhum problema. Consegui entender a posição de cada um. Mesmo o vereador votando contra os projetos do prefeito eu mantive um grande relacionamento com todos eles. Isso me capacitou para ser o presidente e mesmo essa questão da presidência não foi imposta, não foi algo que eu estava desesperado, que fosse essencial e necessário para a minha vida”, declara.

METAS

Vendas somente em Cascavel

Uma das metas de Alécio é aproximar o Legislativo da comunidade. A ideia é fazer uma sessão itinerante por mês para que os vereadores ouçam a comunidade e os moradores possam também conhecer e opinar sobre o trabalho legislativo. “Nós vamos estimular a comunidade para fazer requerimentos, estimular para que na sessão itinerante tragam indicações dela para que a comunidade possa entender que esse poder é dela, não é nosso, nós apenas somos os representantes”, enfatiza.

Outra meta é a valorização dos servidores. No mês passado, Alécio conversou com cada um dos funcionários efetivos, deu um presente no Dia do Servidor Público (28 de outubro) e se colocou à disposição. “Disse que jamais eles verão o meu nome envolvido em corrupção. Eu quero zelo com a instituição, quero valorizar esses funcionários, eles terão voz e vez porque nós passamos e a instituição permanece”, ressalta.

 

Deixe uma resposta