Dono da Riachuelo, evangélico quer ser presidente da República

O empresário Flávio Rocha, dono da rede de lojas Riachuelo, acertou nesta terça-feira (27) sua entrada no PRB para disputar a Presidência na eleição de outubro. O empresário definiu sua entrada no PRB em conversa com deputados federais e com o presidente da legenda, Marcos Pereira –ex-ministro da Indústria e bispo licenciado da Igreja Universal.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o anúncio oficial foi feito pelo empresário e parlamentares do partido na Câmara dos Deputados. Nas negociações com o PRB, o empresário recusou ofertas para concorrer a vice na chapa de outros candidatos a presidente -como Jair Bolsonaro (PSL), Rodrigo Maia (DEM) ou Michel Temer (MDB).

O acordo do empresário com o PRB envolve sua disposição em financiar a própria campanha. A sigla afirmou que não dispõe de recursos do fundo eleitoral para bancar uma candidatura presidencial. A família de Rocha tem um patrimônio avaliado em R$ 1,3 bilhão.

Em seu discurso, Rocha ressaltou a defesa de uma candidatura liberal na economia e conservadora nos costumes, que represente “um contraponto ao excessivo intervencionismo estatal e de inversão de valores” da esquerda. Autodeclarado “reformista e privatista”, ele negou semelhanças com o pré-candidato Jair Bolsonaro (PSL).

“Temos pouquíssimas identidades, sou um liberal convicto e acredito na força do indivíduo”, disse. “Trago ensinamentos da esfera empresarial. Tivemos o melhor trimestre da história da nossa empresa. Tinha tudo para festejar, mas foi um período de angústia”, afirmou. “Não adianta ocupar uma confortável suíte presidencial de um transatlântico de luxo, se esse Titanic navega celeremente em direção ao iceberg assassino”.

Flávio Rocha é evangélico, frequenta a igreja Sara Nossa Terra e se diz defensor de princípios considerados conservadores –como a valorização da família e a adoção de uma plataforma linha-dura para a segurança pública. O empresário também é ligado ao MBL (Movimento Brasil Livre), que organizou mobilizações pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Integrantes do movimento participaram do lançamento da candidatura do empresário a presidente.

Deixe uma resposta