Escândalo: mulher tenta incriminar mordomo após “levar fora” do garotão

O general Potifar, homem forte do exército egípcio mandou prender um rapaz hebreu após sua esposa acusá-lo falsamente de tentativa de estupro. O rapaz, identificado como José, era homem de confiança do general e administrava todos os bens do militar. Irritado, Potifar mandou colocar o jovem na prisão após sua mulher declarar ter sido atacada pelo jovem.

A história nos bastidores, no entanto, é bem diferente da declaração da mulher. Ela teria acusado o rapaz após tentar, sem sucesso, seduzi-lo e levá-lo para a cama. Impressionada com a beleza do jovem mordomo, a mulher do general passou a assediá-lo dentro da própria casa. O assédio vinha acontecendo há algum tempo, mas o jovem temente a Deus em nenhum momento desrespeitou seu chefe.

Uma testemunha teria presenciado uma das investidas da mulher para cima do jovem hebreu. “Seu marido me pôs como responsável por tudo o que tem. Nesta casa eu mando tanto quanto ele. Aqui eu posso ter tudo o que quiser, menos a senhora, pois é mulher dele. Sendo assim como poderia eu fazer uma coisa tão imoral e pecar contra Deus?”, disse o jovem a mulher numa das sedutoras investidas.

As frequentes “cantadas” fizeram o jovem se afastar da mulher. Sempre que ela aparecia, ele preferia passar longe. Numa manhã quando entrou na casa para iniciar os trabalhos o rapaz foi surpreendido pela mulher que aproveitou o momento a sós para investir novamente contra o jovem. “Venha, vamos para a cama”, disse ela agarrando o jovem pela capa. Amedrontado, José correu para fora, mas sua capa ficou nas mãos da mulher que irritada com a recusa chamou os outros empregados e denunciou o rapaz falsamente. “Este hebreu que meu marido trouxe para casa está nos insultando. Ele entrou em meu quarto e quis ter relações comigo, mas eu gritei o mais alto que pude. Logo que comecei a gritar bem alto ele fugiu deixando sua capa no meu quarto”, esbravejou.

Na prisão, logo José se tornou preso de confiança e assumiu a responsabilidade de cuidar dos demais presos. A presença de Deus na vida do jovem hebreu fez dele um jovem abençoado. Tudo o que ele fazia prosperava, inclusive quando esteve a frente da administração da casa de Potifar. O jovem hebreu foi parar no Egito como escravo após ser vendido pelos próprios irmãos que tinham ciúmes dele por ser o preferido do seu pai, Jacó.

Os irmãos de José estavam no campo pastoreando ovelhas quando o rapaz apareceu a mando de Jacó para ver como estavam os animais. Irritados, eles planejaram matar o irmão, mas Ruben, um dos filhos de Jacó sugeriu que ele fosse colocado dentro de um poço. Ruben pretendia salvar o rapaz posteriormente. Quando José se aproximou eles tiraram a roupa que ele vestia e o colocaram em um poço vazio, mas ao ver uma caravana da tribo ismaelita que seguia para o Egito decidiram vender o garoto como escravo.

Vendido por 20 barras de prata, José foi levado ao Egito onde foi revendido como escravo para Potifar. Os irmãos dele mataram um cabrito e ensanguentaram a túnica do rapaz para passar a imagem aos pais de que José teria sido devorado por um animal selvagem.

(O texto acima pode ser encontrado no Livro de Gênesis capítulos 37 e 38)

Deixe uma resposta